Documentos apontam divergências na idade de Assis

Segundo documentos oficiais, doação da terra foi feita em 1905, mas emancipação se deu somente em 1917


  • 01/07/2017 - 06:00

Assis comemora, neste dia 1º de julho de 2017, 112 anos de fundação e 100 anos de emancipação política, conforme documento expedido pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

1º de julho de 1905   é a data em que foi registrada a doação, por Francisco de Acis Nogueira  da área para que o local fosse povoado.  Somente em 20 de dezembro de 2017 foi instalada a Comarca, conforme consta no  Cartório de Registro de Imóveis de Assis

No Setor Administrativo do Fórum de Assis consta o que se segue: 

1º de julho de 1905 - Capitão Francisco de Acis Nogueira doou 80 alqueires de terra de cerrado para o patrimônio e construção de uma capela. 

30 de novembro de 1915 - o povoado foi elevado a Distrito de Paz, integrando o Município de Platina da Comarca de Campos Novos do Paranapanema, através da Lei 1.496. 

20 de dezembro de 1917 - foi criado o Município de Assis com território desmembrado de Platina. 

26 de dezembro de 1918 - transferência da sede da Comarca de Campos Novos do Paranapanema para Assis , por força da Lei 1.630-A. 

Como curiosidades do Judiciário assisense tem-se: 

1º juiz Titular da Comarca de Assis: Vasco Joaquim Smith de Vasconcellos - 1919 a 1928 

1º juiz da 1ª Vara: Carlos Mendes Coelho - 1959 a 1962. 

1º juiz da 2ª Vara: Paulo Garcia Guimarães Filho - 1977 a 1979. 

1º juiz da 3ª Vara: Sílvio Pelosi - 1983 a 1996. 

1º juiz da 4ª Vara: 1983 a 1996. 

Câmara Municipal de Assis 

A Câmara Municipal de Assis foi fundada em 20 de março de 1918 em uma Sessão Extraordinária que se refere a 1ª Ata sobre constituição da própria Câmara e a instalação do Município, mediante Lei Estadual nº 1.581, quando foram reconhecidos como vereadores titulares Dr. João Teixeira de Camargo, que sendo o mais idoso presidiu a Sessão, Manoel Bernardo da Silva, Vicente Fernandes de Carvalho e Salvador Bonilha de Toledo, e suplentes Joaquim Moreira Sandoval, Francisco Pinto de Andrade, José Martins de Castro, Luiz Guilherme da Cunha, Antônio Marques de Almeida e José Gonçalves Leme. 

Em 8 de abril de 1918 foi aprovado o Regimento Interno da Câmara e adotado o Código de Posturas Municipais de Itatiba, para o município de Acis, que assim se escrevia em virtude do nome de seu doador ser Francisco de Acis Nogueira. O nome foi adaptado anos depois pelos próprios moradores que escreviam Acis com dois 's', Assis. 

O 1º presidente da Câmara foi o vereador Manuel Bernardo da Silva. No dia 9 de abril de 1918, foi realizada a 1ª Sessão Ordinária do Legislativo Municipal e estavam presentes os vereadores eleitos, o prefeito e o vice-prefeito que, naquela época acumulavam mandato de vereador. 

Prefeitura de Assis 

Em 6 de abril de 1918, os vereadores elegeram o primeiro prefeito João Teixeira de Camargo e primeiro vice-prefeito João Lúcio da Silva. 

Curiosidade: Na década de 1920 a política em Assis era dominada por dois partidos políticos de nomes folclóricos: o partido do Abacaxi e o do Caju. A Câmara estava sempre em renovação, pois os mandatos eram de 4 anos, mas a Mesa se renovava de dois em dois anos. Nessa época, os orientadores da política local eram geralmente homens formados que haviam estudado nas capitais. 

No Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais de Assis, com data de fundação do dia 24 de abril de 1916, ainda Distrito de Assis, pertencente ao Município de Platina, com informações da Oficial Maria Clara Fernandes Castilho Garcia, foram levantados: 

Registro de Nascimento nº 01 - feito no dia 04/04/1916: Antenor nascido em 11/10/1915, filho de Joaquim Vicente Jonas e Bernardina Moreira de Jesus,; tendo com avós paternos Vicente Ferreira do Prado e Cecília Maria de Jesus e avós maternos Ananias Máximo de Souza e Antônia Maria de Jesus. 

Certidão de Casamento nº 01 - feito no dia 24/05/1916: José Teodoro da Silva e Francisca Maria de Jesus. Pais do noivo: Teodoro Pereira Tavares e Luiza Maria de Jesus; pais da noiva: Francelino Carreiro da Silva e Tiléssia Maria de Jesus. 

Certidão de Óbito nº 01 - datado de 24/04/1916: Jandyra, de 3 meses. 

Assisense mais antigo 

O assisense mais antigo que se tem conhecimento em Assis é José Gomes de Oliveira, nascido em 22 de junho de 1916. Ele é casado com Malvina Carneiro de Oliveira, de 92 anos. Eles são casados há 71 anos, moram no Complexo Prudenciana em Assis, têm 9 filhos, 23 netos e 21 bisnetos. 

Fonte: Assiscity

José Gomes de Oliveira, 100 anos, e Malvina Carneiro de Oliveira, 91

Outras curiosidades 

1º Bispo Diocesano: Dom Antonio José dos Santos - 1930 a 1956 (Arquivo Luiz Barros)


Casa de Capitão Garcez e dona Judith, atual Museu Histórico de Assis 

1ª professora: Judith de Oliveira Garcez (Arquivo Luiz Barros) 

1º juiz Titular da Comarca de Assis: Vasco Joaquim Smith de Vasconcellos - 1919 a 1928 (Arquivo Luiz Barros) 

1ª Igreja Presbiteriana Independente de Assis: 15 de maio de 1921 (Arquivo Luiz Barros) 

1ª empresa de Assis: Relojoaria Portuguesa - 1926 (Arquivo Luiz Barros)

1ª Rádio de Assis: Rádio Difusora - 23 de julho de 1941 (Arquivo Luiz Barros) 

Prédio da 1ª Câmara Municipal de Assis, onde também funcionava a Prefeitura (Arquivo Luiz Barros) 

1ª igreja de Assis, onde atualmente está localizada a Catedral: 1912 (Arquivo Luiz Barros) 

1º cinema de Assis: Cine São José (Arquivo Luiz Barros)


1º padre nascido em Assis (10/02/1926) e ordenado padre na cidade, Floriano de Oliveira Garcez 


Palácio Episcopal de Assis Santa Terezinha: 1928 (Arquivo Luiz Barros) 

Vista parcial da Avenida Rui Barbosa na década de 50 (Arquivo Luiz Barros) 

Casas de madeira que substituíram as de pau-a-pique e cobertas de sapé. A rua principal era a Capitão Assis (Arquivo Família Roselli) 

Construção da ferrovia - 1916 (Arquivo Luiz Barros) 

Praça da Catedral - 1955 (Arquivo Antonio Carlos Holmo) 

Escola isolada de Assis, em 1917 (Arquivo Luiz Barros)


Alunos e professores do Grupo escolar João Mendes Júnior, durante as comemorações de 7 de setembro de 1918, com a presença do grupo de escoteiros e bandeirantes de Assis da época (Arquivo Luiz Barros) 


Autora do Hino de Assis: Maria Lopes de Campos, a dona Pimpa (Arquivo Luiz Barros) 


Hino de Assis

Este canto de amor tão vibrante 
Comemora a data feliz 
Neste Hino festivo saudamos, 
Esta Terra querida de Assis! 

Terra hospitaleira, 
De prosperidade, 
E de felicidade. 

Terra de amor, terra de paz, seja feliz! 
Salve cidade, cidade de Assis. 

Terra de amor, terra de paz, seja feliz! 
Salve cidade, cidade de Assis. 

Fraternal! 

#Assis #CuidandoDeGente


Informativo

Cadastre-se e fique por dentro das notícias da Prefeitura de Assis.

Acesse aqui

AssisDigital.com

Conheça o Catálogo de Serviços Digitais. É fácil e prático.

Acesse aqui

Curta