ePrivacy and GPDR Cookie Consent by Cookie Consent

Assis mantém 98,6% dos medicamentos disponíveis pelo SUS

Sucesso é resultado do planejamento estratégico e de compras programadas realizadas dentro do orçamento anual destinado à Saúde


  • 21/07/2023 - 12:37 | Atualizado em 21/07/2023 - 12:49
  • Informação publicada há 335 dias

Foto: Departamento de Comunicação

A Prefeitura de Assis, através da Secretaria Municipal da Saúde, tem alcançado um importante marco na área da saúde pública, garantindo a oferta de 98,6% dos medicamentos presentes na relação municipal disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No total, dos 218 medicamentos oferecidos pela rede, Assis conta com 215 deles em disponibilidade, e apenas 3 hoje não estão presentes nas Unidades Dispensadoras. Tal feito é resultado do planejamento estratégico e de compras programadas realizadas dentro do orçamento anual destinado à saúde.

No entanto, apesar dos esforços para manter o abastecimento regular, em alguns casos específicos ocorre a escassez pontual de medicamentos. A secretária da Saúde, Cristiani Silvério, explicou que a falta de alguns medicamentos pode ser atribuída a uma série de fatores que fogem ao controle direto da administração da saúde.

Dentre os motivos que podem levar à indisponibilidade temporária de medicamentos, destacam-se:

1. Licitação fracassada: De acordo com a Lei de Licitações nº 8.666/93, em alguns casos, a concorrência para a aquisição de medicamentos pode não atingir o êxito esperado, o que resulta na impossibilidade de fechar contrato com fornecedores.

2. Nenhum fornecedor disponível: Em outras situações, mesmo com a realização de licitação, nenhum fornecedor se apresenta para ofertar o medicamento necessário, o que gera uma dificuldade extra na reposição do estoque.

3. Atraso justificado na entrega: Os fornecedores podem enfrentar eventualidades que causem atrasos na entrega dos medicamentos, como problemas logísticos ou questões relacionadas ao transporte e distribuição.

4. Atraso injustificado na entrega: Infelizmente, há casos em que fornecedores não justificam adequadamente os atrasos, tornando complexa a busca por soluções rápidas e efetivas.

5. Falta de matéria-prima do laboratório fabricante: A indisponibilidade de matéria-prima pode impactar diretamente na produção dos medicamentos, levando à interrupção do fornecimento temporário.

6. Dificuldades logísticas por parte dos fornecedores: Questões relacionadas à logística de distribuição também podem contribuir para a falta de medicamentos nas unidades de saúde.

Para enfrentar esses desafios e garantir o atendimento adequado à população, a Secretaria da Saúde trabalha em estreita colaboração com outros órgãos governamentais, buscando medidas paliativas quando necessário, como a realização de compras emergenciais e a busca de novos fornecedores.

O prefeito José Fernandes também se pronunciou sobre a situação, destacando o compromisso contínuo do governo municipal em superar as dificuldades enfrentadas na área da saúde. Ele ressaltou que a busca por soluções efetivas e a transparência na comunicação com a população são fundamentais para manter a saúde em movimento e garantir a qualidade dos serviços prestados.

Em meio aos desafios inerentes à gestão pública de saúde, a Secretaria da Saúde e a administração municipal reafirmam seu empenho em assegurar que a população tenha acesso aos medicamentos essenciais, trabalhando incansavelmente para superar as adversidades e garantir uma saúde cada vez mais acessível e eficiente para todos os cidadãos.

Você pode conferir a relação de medicamentos disponíveis e as Unidades Dispensadoras em que ele se encontram através do link: https://saude.assis.sp.gov.br/farmacia

Assis, Cidade em Movimento
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO PMA / SMS


Galeria de Fotos


Conheça nossos Grupos:
Siga nossas Redes Sociais: | | |

Aplicativo

Atendimento ao Cidadão, 24 horas.

Acesse aqui

Informativo

Receba as notícias da Prefeitura.

Acesse aqui

AssisDigital

Catálogo de Serviços Digitais.

Acesse aqui

Curta